Vasco joga mal, e ‘lei do ex’ dá vitória para o Atlético-GO em São Januário

Compartilhe

Vasco perdeu de virada para o Atlético-GO Foto: Luiza Moraes

Lei do ex? Cria de São Januário, Renato Kayzer marcou os dois gols da virada (2 a 1) do Atlético-GO sobre o Vasco. Mas o chavão é pouco para definir o revés na Colina. Dependentes de Cano, os cruz-maltinos fizeram sua pior partida no campeonato. O argentino até tentou salvar. Mas, sozinho, não foi capaz.

A derrota impediu o Vasco de chegar à segunda colocação no Brasileiro. Com 14 pontos, agora é o sexto na tabela. No domingo, tenta se recuperar contra o Botafogo.

A partida começou com dois protestos em 20 segundos. No primeiro deles, os jogadores estenderam o braço direito e exibiram um “X” marcado na palma da mão. O símbolo também estava estampado na camisa do Vasco e simboliza a campanha de combate à violência contra a mulher. Uma ironia: no gol atleticano, Jean, que em dezembro chegou a ser detido nos Estados Unidos por espancar sua então mulher.

O segundo protesto da noite foi o gesto de cruzar os braços como repúdio à invasão de torcedores ao CT do Figueirense e à agressão a funcionários e atletas, no último sábado. O ato foi repetido em todos os jogos da rodada.

Com a bola rolando, os problemas do Vasco não demoraram a aparecer. Tanto na frente quanto atrás. O excesso de erros de passe (provocada pela marcação por pressão do Atlético-GO) prejudicou a construção do time, que tenta jogar de bola em bola. Para completar, Bruno César não soube suprir a ausência do poupado Benitez. Muito à frente, deixou um buraco no meio.

Pior ainda estava a recomposição defensiva do time. Cada bola perdida pelos donos da casa foi um contra-ataque perigoso dos goianos. Com sua velocidade, Janderson fez o que quis pela esquerda da defesa vascaína. O gol do Atlético-GO só não saiu porque ora os atacantes pecavam nas finalizações, ora Fernando Miguel se destacava com grandes defesa.

Aos 16 da etapa final, mesmo com o Vasco pior em campo, Cano mais uma vez fez sua parte. Aproveitou bola desviada pela zaga rival e, com um toque na saída de Jean, abriu o placar.

Só que o gol do centroavante não foi suficiente para esconder os problemas do Vasco, que de tanto insistir achou a virada com Renato Kayzer, aos 17 e aos 29. Os dois gols com jogadas de bola levantada na área e falha de marcação.

Cano ainda quase empatou, aos 44. Mas a arbitragem anulou o gol após ver a bola tocar em seu braço e garantiu a justiça no placar.

Fonte: Extra.globo